De leão

despontam
de repente

luzes que emanam dos corpos
paralelos, perpendiculares

mesmo as luzes dos postes
e as avenidas das cidades

em um segundo





toda imagem







é luz


na lua:
órbita particular

em redomas:
circunferência
do olhar

em resposta
somos

pontos luminosos

pulsantes
incessantes

in can sa vel men t e
suntuosos




2 comentários:

  1. Se me permite, uma sugestão...27 de julho de 2011 22:18

    marina, os poemas tão ficando cada vez melhores. só que o que às vezes atrapalha é justamente a rima. pode ser que o ritmo se perca com ela... tente escrever um poema sem rimas só pra ver no que dá ;)

    ResponderExcluir
  2. agradeço, mas não escuto.
    vou rimando como sou, enquanto me der gosto.

    vejo música no mundo e me dá alegria casar os sons.
    a palavra é crua, o trabalho é só para dar sentido. senso não faz a minha.

    :)

    ResponderExcluir